Toyota interrompe remessas de alguns veículos após falhas em testes de motor

A Toyota Motor disse que interrompeu as remessas globais de 10 veículos depois de descobrir que uma subsidiária administrou mal os testes de motores diesel usados ​​em carros, o mais recente problema embaraçoso que atingiu a maior montadora do mundo nos últimos meses.

A subsidiária da Toyota usou um software para medir a produção de potência que fez “os valores parecerem mais suaves com menos variação”, disse a controladora Toyota em comunicado na segunda-feira. Os veículos “atendem aos padrões de potência do motor” e não há necessidade de parar de usar os motores ou veículos, disse a empresa.

Mesmo assim, a Toyota decidiu parar de comercializar os 10 modelos que utilizam três motores diesel em questão. Entre os modelos que serão fechados temporariamente estão a popular picape Hilux e o utilitário esportivo Land Cruiser 300. A Toyota não informou quantos veículos foram afetados.

O Ministério dos Transportes do Japão disse em comunicado que ordenou que a Toyota Industries abordasse sua má gestão nos testes de motores, acrescentando que realizaria inspeções e emitiria sanções.

“A fraude é um ato que mina a confiança dos usuários e abala os próprios alicerces do sistema de certificação automobilística”, afirmou o ministério.

Em entrevista coletiva, Koichi Ito, CEO da Toyota Industries, pediu desculpas pelos contratempos. “Lamentamos muito que isso tenha sido causado pela Toyota Industries Corporation”, disse ele. “A causa do problema foi a estrutura do sistema da nossa empresa.”

Koji Sato, presidente-executivo da Toyota Motor, disse que o problema estava afetando a produção de cerca de 43 mil motores diesel por mês.

Em dezembro, a Toyota foi abalada por uma série de recalls e paralisações de produção. Primeiro, fez recall de cerca de um milhão de veículos nos Estados Unidos devido a um problema no airbag. Em seguida, informou que o governo do Japão estava investigando a Daihatsu, a subsidiária, por problemas de segurança que remontam a décadas.

A Daihatsu disse que interromperia as remessas de todos os seus modelos devido a irregularidades nas inspeções de segurança. Na semana passada, a empresa informou que estava fazendo recall de 320 mil veículos Daihatsu e que ainda não estava pronta para reabrir suas instalações de produção.

A Toyota disse que entende “a gravidade” dos dois problemas de testes consecutivos que “abalaram os próprios alicerces da empresa como montadora”.

As empresas automobilísticas japonesas enfrentam seu maior desafio comercial desde que se tornaram gigantes globais na década de 1980. A Toyota, que na década de 1970 se tornou líder em eficiência na fabricação de automóveis, não conseguiu acompanhar as mudanças nas preferências dos consumidores e a pressão dos governos em todo o mundo. mundo para reduzir significativamente a queima de combustíveis fósseis, a principal causa das alterações climáticas. No ano passado, a China suplantou o Japão como maior exportador mundial de automóveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *