Acompanhamos neste artigo, ao minuto, a evolução dos incêndios em Portugal.

10h54 – “Parecia o fim do mundo”. Chamas avançam com força em Vale Formoso, na Covilhã

Em Vale Formoso, Covilhã, o incêndio está a progredir novamente com força devido à intensidade do vento. Durante a noite a situação tinha já estado controlada, mas piorou ao início da manhã.

Duas quintas foram atingidas, ficando com os terrenos danificados. Animais tiveram de ser retirados dos locais.

Há 19 anos que os bombeiros não viam um incêndio tão forte e com características tão especiais na zona de Vale Formoso.

A RTP falou com um local que relatou a aproximação das chamas das habitações na noite passada. “Parecia o fim do mundo”, lamentou, contando que arderam oliveiras e pomares numa situação “descontrolada, fora do normal”.

As chamas encaminham-se agora para a aldeia do Souto, perto de Vale Formoso.

Mas o cenário das últimas horas é positivo, explica ao jornalista João Couraceiro o comandante José Rodrigues, da Proteção Civil.

10h26 – Preocupação com o vento

A maior preocupação para as próximas horas é que o vento possa mudar de direção, o que obriga a alguma cautela por parte dos meios no terreno para conter as frentes de fogo ainda ativas e evitar reacendimentos.

10h25 – Três frentes ativas na Serra da Estrela

De acordo como o comando distrital da Proteção Civil, a meio da manhã permaneciam ativas três frentes de incêndio: Sarzedo, na zona da Carvalheira, freguesia de Teixoso e Sarzedo (Covilhã); Seixo Amarelo, freguesia de Gonçalo (Guarda); Vale da Amoreira (Manteigas).

Recorde-se que o fogo passou por Valhelhas e Gonçalo, no concelho da Guarda, e pela freguesia de Vale Formoso e Aldeia do Souto, concelho da Covilhã.

9h51 – Incêndio deflagrou sem motivo aparente

Recordamos agora a situação em Tomar, reportada ao final da tarde de segunda-feira.