Domingo, 19 Novembro, 2017

Marcelo Caetano: governo não 'jogou a toalha' sobre reforma da Previdência

Presidente da Câmara Rodrigo Maia quer protagonismo do Legislativo na agenda do Congresso e pretende fazer uma semana dedicada à segurança pública antes de votar reformas Temer garante que a rejeição da reforma da Previdência não inviabilizaria seu governo
Viriato Gomes | 08 Novembro, 2017, 00:16

O Planalto tem a intenção de aprovar o quanto antes a proposta de reforma de Previdência, que está pronta desde maio para ir à votação na Câmara dos Deputados, mas travou por conta do surgimento das acusações de delatores da JBS contra Michel Temer.

Outros líderes da base governista também dizem que será difícil votar uma reforma, que precisa de 308 votos para ser aprovada na Câmara (de um total de 513 deputados), a um ano das eleições.

"Se em um dado momento a sociedade não quiser a reforma previdenciária, a mídia não quiser a reforma previdenciária e o Poder Legislativo ecoe a voz da sociedade e também não queira aprová-la, paciência, porque continuarei a trabalhar por ela". "Não é apenas em função de uma coisa de futuro, mas de uma coisa para já", afirmou Temer. Não há país em que foi aprovada a reforma da Previdência sem dificuldade.

"Não vamos paralisar. Vamos continuar com as reformas e o tema da reunião de hoje é exatamente essa continuação das reformas, uma delas é a da Previdência Social [.] é, digamos assim, uma continuação importante, fundamental, para uma espécie de fecho das reformas que estamos fazendo", disse ele aos líderes. "Embora a gente não consiga fazer todo o conjunto que a reforma propõe, quem sabe consigamos fazer um avanço".

A 'absoluta penúria' de Eduardo Cunha
A declaração de pobreza do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) animou a internet. Em seguida, Temer respondeu: "Tem que manter isso aí, viu".

Relator no Senado quer suavizar projeto sobre aplicativos como Uber
Esse projeto reúne partes de três propostas sobre o mesmo tema que chegaram ao Senado, deliberadas pela Câmara dos Deputados. Com a regulamentação, Goiânia poderia ter pouco mais de 3 mil motoristas atuando em aplicativos de transporte individual.

Arábia Saudita sobe tom contra Irã a respeito do Iêmen
O movimento xiita dos houthis iemenitas, de acordo com relatos, ameaçou atacar os portos e aeroportos sauditas e dos EAU. O príncipe Mohammed, que também é ministro da Defesa, se considera o artífice da intervenção saudita no Iêmen .

"A reforma da Previdência não é pessoal [.] Se não houver reforma da Previdência, isso não ajudará na criação de empregos, isso dificulta os investimentos governamentais, que estarão direcionados para cobrir o déficit previdenciário", apontou. "Muitos pretendem derrotá-la, porque, derrotando-a, derrotam o governo, mas não é verdade: derrotam o Brasil", afirmou o presidente.

"Vocês se lembram que urdiram-se muitas tramas para derrubar o regime posto".

Meirelles também afirmou que o governo enviará o projeto de mudanças para recuperação judicial e falência até a próxima semana ao Congresso Nacional e que o texto buscará maior eficiência nesses processos.

Atacante "ligado" ao autoproclamado Estado Islâmico Atacante Centenas de agentes estão no local, incluindo um esquadrão antibomba, mas a polícia disse que não procura outros suspeitos. O presidente Donald Trump , na rede social Twitter , considerou o atacante como uma "pessoa doente e desequilibrada".

Receita Federal apreende uma tonelada de cocaína no Porto de Santos Receita Federal apreende uma tonelada de cocaína no Porto de Santos A Alfândega do Porto de Santos , no litoral de São Paulo, apreendeu mais de uma tonelada de cocaína nesta sexta-feira (3). Em maio deste ano, oito pessoas foram detidas em Paranaguá por envolvimento no tráfico internacional de drogas.

Luislinda Valois cita escravidão ao pedir salário de R$ 61 mil Luislinda Valois cita escravidão ao pedir salário de R$ 61 mil O acúmulo somaria R$ 61 mil, valor que supera o teto do funcionalismo, de R$ 33,7 mil. Eu tenho uma representatividade. É tudo isso que tem que ter.